Consequências da Privação do Sono para o corpo

0
257

O sono é essencial para o organismo, pois é neste momento que acontecem diversas reações importantes como a regulação das funções endócrinas, restauração da energia e do metabolismo cerebral, a reparação dos tecidos, além da consolidação da memória.

Assim, a privação do sono, especialmente quando é crônica ou acontece do forma repetida, pode trazer graves consequências à saúde, como prejuízos à memória e aprendizado, redução da atenção, alterações do humor, risco de desenvolver doenças psiquiátricas e enfraquecimento do sistema imune, por exemplo.

O sono é controlado por áreas do cérebro, e está relacionado a eventos bioquímicos e fisiológicos do organismo, e sendo também influenciado pelo comportamento. Para que aconteça de forma adequada, o sono é dividido em 4 fases, que varia em forma de ciclos.

Assim, diversas condições podem levar a alterações que prejudicam o sono, desde doenças neurológicas, psiquiátricas, respiratórias, ou, simplesmente, por maus hábitos que desregulam “relógio biológico” do sono.

1. Cansaço e fadiga

Sonolência, cansaço e perda da disposição são os primeiros sintomas da falta de uma boa noite de sono, pois é durante o repouso, sobretudo nas fases mais profundas do sono, que o corpo consegue recuperar as energias.

2. Falhas na memória e atenção

É durante o sono que o cérebro consegue consolidar as memórias e renovar o desemprenho cognitivo, permitindo uma maior capacidade de concentração, atenção e desempenho das funções.

Assim, uma pessoa em privação do sono por muitas horas tem mais dificuldades para lembrar das coisas, concluir raciocínios, concentra-se ou ter atenção, apresentando dificuldades em tomar decisões e piores desempenhos no trabalho ou na escola, por exemplo.

3. Queda da imunidade

A privação do sono prejudica a produção de células de defesa do organismo, tornando o sistema imunológico enfraquecido e menos eficaz no combate a infecções.

4. Tristeza e irritabilidade

A privação do sono pode proporcionar uma instabilidade emocional, assim, as pessoas apresentam-se mais irritadas, tristes ou impacientes. Quando o pouco sono torna-se crônico, a pessoa fica mais predisposta a apresentar tristeza e sofrer de ansiedade e depressão.

Outras doenças mentais que podem ser favorecidas pelo distúrbio do sono são distúrbios alimentares, síndrome do pânico ou alcoolismo, por exemplo.

5. Pressão alta

Dormir menos de 6 horas por dia pode favorecer o surgimento de pressão alta, pois durante o sono há um período de descanso do sistema cardiovascular, com diminuição da pressão e dos batimentos cardíacos. além disso, a falta de sono pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares, como infarto e AVC.

6. Alterações hormonais

A relação adequada entre o sono e a vigília, que é período em que se mantem acordado, é fundamentação para uma produção regularizada de hormônios do organismo.

Assim, hormônios como melatonina, hormônio do crescimento, adrenalina e TSH estão muito relacionados com a existência de um sono adequado, por isso, a privação do sono, especialmente de forma crônica, pode provocar consequências como atraso do crescimento, dificuldades para o ganho de massa muscular, alterações tireoidianas ou fadiga, por exemplo.

Fonte: https://www.tuasaude.com/

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here